Eletro Rosam – Eletricista maringa

Veja algumas dicas e informações preventivas importantes para a manutenção preventiva de nas instalações elétricas em sua residência com eletricista maringa e eletro rosam

• Para qualquer perfuração na parede consulte previamente o projeto , de forma que nenhuma tubulação;
seja danificada, ou mesmo ocasione acidentes graves, até fatais, como por exemplo, curto circuitos;
• Nenhum aparelho/instalação pode ser submetido a esforço para o qual não tenha sido produzido;
• Sempre que for fazer manutenção, limpeza, reaperto nas instalações elétricas, ou mesmo uma simples
troca de lâmpadas, desligue o disjuntor correspondente ao circuito ou, na dúvida o disjuntor geral;
• Ao adquirir aparelhos elétricos, verifique se o local escolhido para sua colocação é provido de instalação
adequada para seu funcionamento nas condições especificadas pelo fabricante;
• As instalações de chuveiros, lustres ou similares deverão ser executadas por técnico habilitado, observando-se em especial o aterramento e a voltagem,
bitola, qualidade dos fios, isolamento, tomadas e plugs a serem empregados na instalação dos equipamentos;
• Não manusear aparelhos elétricos em contato com a água, pois pode ocasionar acidentes fatais;
• O chuveiro elétrico não deve funcionar com pouca água, pois tende a aquecer a instalação e provocar uma sobrecarga;
• Nunca segurar dois fios ao mesmo tempo. O contato simultâneo com um fio positivo e um fio negativo pode ocasionar uma parada cardíaca.
• Isole sempre o fio que acabou de mexer antes de desencapar o outro;
• Em caso de incêndio, desligue a chave geral do quadro de distribuição e chame eletricista maringa eletro rosam.

Eletricista Maringa / PARA QUE SERVE O ATERRAMENTO ELÉTRICO ?

Eletricista Maringa / PARA QUE SERVE O ATERRAMENTO ELÉTRICO ?

O Aterramento elétrico tem três funções principais :

1 – Proteger o usuário do equipamento das descargas atmosféricas,
através da viabilização de um caminho alternativo para a terra, de descargas atmosféricas.

2 – “ Descarregar” cargas estáticas acumuladas nas carcaças das máquinas ou equipamentos para a terra.

3 – Facilitar o funcionamento dos dispositivos de proteção como os fusíveis e disjuntores, através da corrente desviada para a terra.
DEFINIÇÕES : TERRA, NEUTRO E MASSA.
Na figura 1 temos um exemplo da ligação de um PC à rede elétrica, que possui duas fases (+110 VCA, – 110 VCA), e um neutro.

 

Essa alimentação é fornecida pela concessionária de energia elétrica, que somente liga a caixa de entrada ao poste externo se houver uma haste de aterramento padrão dentro do ambiente do usuário. Além disso, a concessionária também exige dois disjuntores de proteção.
Teoricamente, o terminal neutro da concessionária deve ter potencial igual a zero volt. Porém, devido ao desbalanceamento nas fases do transformador de distribuição, é comum esse terminal tender a assumir potenciais diferentes de zero.
O desbalanceamento de fases ocorre quando temos consumidores com necessidades de potências muito distintas, ligadas em um mesmo link.
Por exemplo, um transformador alimenta, em um setor seu, uma residência comum, e no outro setor, um pequeno supermercado. Essa diferença de demanda, em um mesmo link, pode fazer com que o neutro varie seu potencial (flutue) .
Para evitar que esse potencial “flutue”, ligamos (logo na entrada) o fio neutro a uma haste de terra. Sendo assim, qualquer potencial que tender a aparecer será escoado para a terra.
Ainda analisando a figura 1 , vemos que o PC está ligado em 110 VCA, pois utiliza uma fase e o neutro.

Mas, ao mesmo tempo, ligamos sua carcaça através de outro condutor na mesma haste, e damos o nome desse condutor de “terra”.

Pergunta “fatídica”: Se o neutro e o terra estão conectados ao mesmo ponto (haste de aterramento), porque um é chamado de terra e o outro de neutro?
Aqui vai a primeira definição : o neutro é um “condutor” fornecido pela concessionária de energia elétrica, pelo qual há o “retorno” da corrente elétrica. O terra é um condutor construído através de uma haste metálica e que, em situações normais, não deve possuir corrente elétrica circulante.

Observe que á duas barras uma azul e outra verde.

Resumindo: A grande diferença entre terra e neutro é que, pelo neutro há corrente circulando, e pelo terra, não. Quando houver alguma corrente circulando pelo terra, normalmente ela deverá ser transitória, isto é, desviar uma descarga atmosférica para a terra, por exemplo. O fio terra, por norma, vem identificado pelas letras PE,

e deve ser de cor verde e amarela. Notem ainda que ele está ligado à carcaça do PC. A carcaça do PC, ou de qualquer outro equipamento é o que chamamos de “massa”.

 

Eletricista Maringa.

fonte :http://eletricaesuasduvidas.blogspot.com.br/2010/10/aterramento-eletrico.html

Eletricista COMO FUNCIONA A ENERGIA FOTOVOLTAICO

Eletricista COMO FUNCIONA A ENERGIA FOTOVOLTAICO

Em tempos de conscientização ambiental e pesquisas de fontes de energias alternativas, a energia fotovoltaico se torna uma ótima opção de energia limpa e relativamente econômica.

Muitas pessoas confundem as células fotovoltaicas com os painéis solares, mas eles trabalham de forma diferente.

Os painéis solares têm a finalidade de produzir água quente ou mesmo vapor. Já os painéis fotovoltaicos convertem a luz solar diretamente em eletricidade. Leia mais

Eletricista INTERNET WIFI – DÚVIDAS, SINAL, DICAS, PASSO A PASSO

Eletricista INTERNET WIFI – DÚVIDAS, SINAL, DICAS, PASSO A PASSO

Uma grande evolução na tecnologia, a internet Wifi tem sido uma das mais usadas atualmente, ela veio mesmo para mudar nossa forma de conectar, seja um simples smartphone, tablets e computadores. Hoje em dia, é muito comum buscar o acesso em consultórios, hospitais, cursos e até mesmo em transportes públicos como ônibus e van. Leia mais

Eletricista CABO CROSSOVER – ENTENDA O QUE É E QUAL A SUA UTILIDADE

Eletricista CABO CROSSOVER – ENTENDA O QUE É E QUAL A SUA UTILIDADE

O cabo crossover é um cabo simples com o par trançado com geralmente o padrão de categoria 5, um cabo que geralmente possui uma cobertura de plástico azul ou preta em torno dele. Leia mais

Eletricista MaringaENSINA COMO EVITAR A ‘FUGA’ DE ENERGIA

Eletricista Maringa como achar fuga de energia

Mesmo com todos os cuidados para economizar energia, problemas na fiação e emequipamentos podem jogar por terra o esforço para escapar do corte de eletricidade

Por mais que as pessoas se esforcem para economizar energia reduzindo o uso de vários aparelhos eletrônicos e até o tempo no banho, às vezes só essas medidas não são suficientes. O gasto permanece alto, como se um fantasma circulasse pela casa “roubando a energia”.

Na verdade, é mais ou menos isso o que acontece quando há fuga de energia na rede interna da casa.

O teste para saber se há fuga de corrente de energia é simples. Segundo os técnicos da Eletricista Maringa, o primeiro passo é desligar todos os equipamentos e tirá-los das tomadas e apagar todas as luzes da residência. Aguarde dez minutos.

Depois disso é preciso verificar o medidor. Ele tem de estar parado, o que é sinal de que não há energia sendo disperdiçada. “Se o relógio de luz continuar girando, ou seja, contando energia consumida é mostra de que há algum problema nas instalações”, explica o analista de marketing da Eletropaulo, Rubens Leme.

Para um teste mais aprofundado, que mostrará se o problema está no medidor de leitura ou na fiação interna, o consumidor tem de desligar a chave geral.

De acordo com Leme, se o relógio parar desta vez, é porque há problemas nas instalações internas. Mas caso ele continue marcando consumo, o problema é do próprio relógio.

A fuga de corrente de energia pode ocorrer principalmente nas instalações mais antigas, que estavam dimensionadas para fornecer energia para poucos equipamentos e aos poucos foram sobrecarregadas para alimentar freezers, microondas e outros equipamentos ao mesmo tempo.

Parede quente

Além disso, casas com muitas emendas nos fios de alimentação podem deixar que a corrente vaze para a parede, sendo disperdiçada. Outra dica para verificar se há problemas é perceber se há paredes que “dêem choques” ou que esquentem. Ás vezes isso acontece perto de interruptores.

Esse aquecimento das paredes, ou seja, a fuga de corrente, lembram os técnicos, é potencializada pelo uso de benjamins. O mesmo vale para os carregadores de telefones celulares. “Vale evitar deixá-los fora da tomada se não estiverem sendo usados. É fácil perceber que eles consomem energia porque a caixinha do recarregador costuma ficar aquecido.”

Lâmpadas fluorescentes

Para quem está trocando as lâmpadas incandescentes pelas fluorescentes há uma dica do analista de marketing para reduzir o consumo ainda mais – elas consomem apenas 20% do que as primeiras consomem de energia.

Esse tipo de lâmpada não pode ser ligado e desligado a todo momento. É preciso esperar pelo menos 15 minutos, depois de ligada, para desligá-la.

Isso porque essa operação de acionamento desse tipo de lâmpada aummenta o consumo.

http://www.aaafaap.org.br/netmail/eletropaulo_ensina.htm

Eletricista

Eletricista (AO 1945: electricista) é o profissional que atua na implementação e manutenção de instalações elétricas.
Eletricista é o profissional treinado e habilitado para atuar em instalações elétricas ou componentes eletro-eletrônicos. A atividade de eletricistas pode ser dividida basicamente em dos segmentos: A INSTALAÇÃO e A MANUTENÇÃO. A INSTALAÇÃO Toda instalação elétrica existente passa primeiro por um conceituado projeto elaborado por Engenheiro devidamente qualificado e habilitado pela legislação brasileira para mapear, calcular, dimensionar e especificar os componentes certos, dentro das Normas Técnicas em vigor, orientado sempre à segurança e confiabilidade.

É uma área bastante rica em detalhes e muito interessante. O eletricista instalador precisa conhecer as normas, saber interpretar os desenhos técnicos e diagramas elétricos e ter habilidade para utilizar as ferramentas adequadas na instalação de fios e componentes elétricos, sempre atento a alguns fatores a seguir:

  • ORIGINALIDADE DO PROJETO: A montagem da instalação deve seguir a orientação especificada pelo Engenheiro Eletricista no projeto. Caso ocorra uma ou outra divergência no campo, que impeça a montagem segundo o projeto, precisa ser reportada ao Engenheiro, que deve estudar cada caso e, quando se não houver problema na modificação do campo, este deverá ser modificado também no desenho técnico. (As chamadas As-Built)
  • SEGURANÇA: Toda montagem deve ser executada visando a segurança da instalação quando for energizada e estiver em operação.
  • MANUTENABILIDADE: Os componentes elétricos (cabos, painéis, dispositivos de controle e de proteção) devem ser instalados visando à garantir uma fácil manutenção, de forma que, caso seja necessário uma futura intervenção, ajuste ou substituição, esta possa ser executada no menor tempo possível.

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Eletricista

Perigos da Profissão eletricista

Todos sabem a importância da eletricidade e por consequência do profissional eletricista na vida moderna, seja para trazer conforto aos nossos lares ou trabalhando como insumo nas diversas áreas da economia (indústrias, comércios, agricultura). Por outro lado, manusear equipamentos sujeitos a eletricidade faz com que um bom eletricista tome alguns cuidados, com relação a postura, equipamentos de proteção, enfim.

Os acidentes ocorridos causados pela eletricidade seja em um cidadão comum em sua casa ou em um profissional desempenhando a sua atividade são comprovadamente os que trazem as consequências mais graves para a saúde, portanto, as devidas precauções devem ser seguidas a risca, principalmente por aqueles que lidam com eletricidade rotineiramente, caso do eletricista.

Para profissão de eletricista

Os eletricistas profissionais precisam seguir algumas normas regulamentadoras, que visam auxiliar na prevenção dos acidentes. Essas normas definem os equipamentos que devem ser utilizados assim como passa todas as informações necessárias para que o risco de acidente seja reduzido ao máximo.  Os eletricistas estão sujeitos aos seguintes riscos: choque elétrico e ainda danos econômicos, como por exemplo, em caso de incêndios e explosões.

O choque elétrico é sem dúvida o maior problema encontrado pelos trabalhadores, visto que, é a forma de acidente que acontece com mais frequência nos campos de trabalho. Já os incêndios e as explosões são fatos que acontecem com uma menos frequência, mas que fazem muito estrago mesmo nas poucas vezes que ocorrem. É importante destacar que os riscos encontrados nos choques elétricos, assim como os danos causados aos trabalhadores estão diretamente ligados aos valores da tensão da rede elétrica (voltagem).

 Efeitos da eletricidade no corpo humano

O choque elétrico é a reação do organismo a uma carga recebida de uma corrente elétrica. As correntes elétricas danificam e lesam os tecidos nervosos e cerebral, provoca coágulos nos vasos sanguíneos e ainda pode paralisar a respiração e os músculos cardíacos assim que ela passa e é conduzida pelo nosso corpo.

A corrente elétrica tanto pode matar instantaneamente quanto pode deixar uma pessoa inconsciente, ela faz com que os músculos se contraem a 60 ciclos por segundo, que é nada mais nada menos que a frequência da corrente alternada.

http://www.portaleletricista.com.br/riscos-da-profissao-eletricista/

Eletricista Maringa Com Crea

Saiba mais sobre o registro no CREA e entenda porque contratar um Eletricista com CREA para ter maior segurança e garantia em suas instalações elétricas residenciais, comerciais, prediais e industriais.

O CREA é o Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia e tem com objetivo regular e organizar essas atividades tanto em nível técnico (profissionais com 2º grau) quanto em nível superior (arquitetos, urbanistas, engenheiros e agrônomos).

Em tese, toda empresa desses segmentos só deveria atuar se seus profissionais tivesse registro no CREA, pois esse documento comprova a qualidade e a formação técnica desses profissionais.

 

Alguns “eletricistas” argumentam que possuem “X” anos de experiência e por isso não precisam de tal registro. Mas ocorre que, somente quem teve um treinamento adequado pode saber aplicar as boas práticas em instalações elétricas.

As Escolas Técnicas e Universidades são fiscalizadas por órgãos superiores e por isso são obrigadas a se manter atualizadas com o conteúdo dos seus cursos, além de ensinarem a seus alunos as normas de segurança da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) principalmente as  normas regulamentadoras, muito requisitadas nos dias de hoje, como por exemplo a NR-35 ( que regulamenta questões de trabalhos em altura) e a NR-12 ( que regulamenta questões de segurança e proteções em máquinas).

Essas normas são baseadas em testes contínuos com diversos fabricantes e são passadas para TODOS os cursos que emitem o registro no CREA.

 

Eletricista Credenciado e Eletricista com CREA

eletricista profissional

O termo Eletricista Credenciado designa o profissional com CREA que tem experiência em executar Padrão de Entrada, Aumento de Carga e todos os trâmites de instalações Elétricas Comerciais, Prediais, Industriais e Residenciais.

Esse profissional entende da execução prática desses processos (a preparação e a instalação elétrica propriamente dita) da questão técnica e planejamento (laudo técnico e projeto elétrico ) além da questão burocrática (formulários e procedimentos administrativos).

Enfim, não arrisque com curiosos! Se precisa de segurança em suas instalações elétricas procure profissionais credenciados ao CREA que lhe darão a garantia do serviço, proporcionando maior qualidade e segurança nos serviços.

 

http://www.eletricistabrasil.com.br/artigos/eletricista-com-crea/

Eletricista Maringá quanto uma lâmpada consome de energia?

Eletricista Maringá quanto uma lâmpada consome de energia?

Com a crescente preocupação devido ao baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas, se faz necessário buscarmos alternativas para reduzir o consumo de energia. Uma delas é a substituição de lâmpadas convencionais por modelos de baixo consumo. Veja abaixo comparativo de consumo entre os modelos mais utilizados: Consideramos uma residência com 25 lâmpadas ligadas em média 5 horas por dia.

Leia mais